Faça Aqui Sua Aposta

SIGA NOSSO BLOG NO TWITTER

CONTATO: narotadasnoticias@hotmail.com
SEJAM BEM VINDO....

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Desembargador suspende licitação de transposição do São Francisco

O desembargador Souza Prudente, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, acaba de deferir a liminar do consórcio Passarelli suspendendo a licitação da transposição do rio São Francisco. A licitação diz respeito ao Eixo Norte, que levará água até o Ceará.

O problema aconteceu após o Ministério da Integração Nacional declarar o consórcio Emsa-Siton vencedor da licitação. Isso porque a empresa ficou em terceiro lugar na disputa, apresentando um orçamento de R$ 517,917 milhões.

O primeiro colocado, o consórcio formado pela Passarelli, Construcap e PB Engenharia, foi desclassificado por critérios técnicos. No entanto, havia apresentado a melhor proposta, de R$ 441,8 milhões. O que configura um deságio de 23% em relação ao valor estabelecido pelo Ministério, de R$ 574 milhões.

Fonte: Veja Online

Policiais rodoviários são presos suspeitos de corrupção no Ceará

A "Operação Déjà Vu", da Polícia Federal e Polícia Rodoviária Federal (PRF), cumpriu na manhã desta terça-feira, 25, cinco mandados de prisão preventiva contra policiais rodoviários federais suspeitos de corrupção. O grupo atuava na Unidade Operacional de Boa Viagem, interior do Ceará, localizada na rodovia BR-020.
De acordo com a investigação, o grupo solicitava pedágio (propina) de motoristas que trafegavam de forma irregular, deixando de lavrar autos de infração e demais sanções administrativas cabíveis.
A operação também cumpriu dez mandados de buscas e apreensão e uma ordem de suspensão de exercício de função pública. Os mandados foram cumpridos nas cidades de Fortaleza, Sobral, Boa Viagem e Maracanaú. A 23ª Vara da Subseção Judiciária da Justiça Federal de Quixadá expediu os documentos.

Os presos foram encaminhados à Polícia Federal no Ceará e serão indiciados pelos crimes de corrupção passiva e associação criminosa, com penas que podem chegar a 15 anos de reclusão.

Déjà Vu

O termo "Déjà Vu" reporta-se à expressão francesa que significa algo já visto, porém, ocorrendo em situação futura, referindo-se à prática delituosa de cobrança de propina reprimida na mesma Unidade Operacional de Boa Viagem/CE da PRF em 2015. 



Fonte: Opovo Online

Polícia revela que bando usou dinamite e armamento pesado em assalto a empresa de segurança em Petrolina

A força-tarefa da Secretaria de Defesa Social de Pernambuco e de Combate ao Crime Organizado continua em diligências, junto com demais órgãos de segurança pública em Petrolina, com apoio de policiais da Bahia, para realizar a prisão do grupo de assaltantes que levou terror aos petrolinenses que estavam nesta quinta, 25, no começo da tarde, nas proximidades da Avenida Honorato Viana, próximos ao Hospital Geral e Urgências (HGU)), bairro Palhinhas, área central da cidade. Os policiais confirmaram o uso de dinamite e armamento pesado na ação dos bandidos a uma empresa de segurança de valores.

Segundo informações oficiais da Polícia Militar, o grupo era formado por cerca de seis homens, que chegaram com uniformes camuflados num veículo Toyota Hilux SW4 de cor preta – relatos fornecidos aos policiais pelos seguranças da empresa. A nota da PM conta que a Central de Operações do 5º BPM foi informada da ocorrência pela população. O alvo era a empresa, localizada ao lado do HGU.

As explosões foram sucedidas com troca de tiros entre seguranças, policiais e os assaltantes, numa cena de muito desespero relatada em áudios e vídeos feitos por quem estava na área, no momento da ocorrência. O carro-forte da Empresa Preserve, que carregava os malotes de dinheiro, era o visado pelo grupo. O veículo ficou destruído e um outro carro-forte, segundo nota da PM, foi atingido também por vários disparos de fuzil, confirmando o uso de armamento pesado na investida. Os seguranças não reagiram. Saíram dos carros e foram se abrigar em prédios próximos, ainda segundo a PM.

Os policiais reforçam que todas as viaturas da área foram acionadas (Gati, Rocam, Rondesc, NIS-4, Malhas da Lei e GT’s) e mobilizadas para a ação, além das Polícias Civil e Rodoviária Federal, PMBA – através dos batalhões de Juazeiro, Remanso e Casa Nova, PF, Cipe/Caatinga, Bepi (Ciosac) – além de viaturas de Rajada, Afrânio e Dormentes (no Sertão do São Francisco).

Fonte: Blog do Carlos Britto

Plenário da Câmara deve votar a reforma trabalhista nesta quarta-feira

O Plenário da Câmara dos Deputados deve votar hoje (26) o projeto de lei que trata da reforma trabalhista (PL 6787/16). O relatório foi aprovado ontem (25) na comissão especial que debateu o tema por 27 votos a 10 e nenhuma abstenção, com ressalvas aos destaques incluídos no relatório durante a discussão.

Depois de apresentar o relatório com nova redação, o relator Rogério Marinho (PSDB-RN) acatou algumas alterações sugeridas por parlamentares, entre as quais a proibição de que o pagamento de benefícios, diárias ou prêmios possam alterar a remuneração principal do empregado e a inclusão de emenda que prevê sanções a patrões que cometerem assédio moral ou sexual.

Marinho disse que, após a votação, vai se reunir com integrantes da bancada feminina para definir acordo sobre mais alterações em torno de alguns pontos, em especial o que trata do trabalho de grávidas e lactantes em ambientes insalubres.

O texto consolidado com todas as mudanças incorporadas ainda não foi divulgado. A oposição ainda tentará votar os destaques em separado antes do início da Ordem do Dia no plenário. O relator disse que poderá fazer mudanças até o momento da votação em plenário, prevista para começar no período da tarde.

Veja a seguir os principais pontos do parecer de Marinho:

Negociado sobre o legislado

Considerada a “espinha dorsal” da reforma trabalhista, esse ponto permite que as negociações entre patrão e empregado, os acordos coletivos tenham mais valor do que o previsto na legislação. O texto enviado pelo governo previa que o negociado sobre o legislado poderia ser aplicado em 13 situações, entre as quais plano de cargos e salários e parcelamento de férias anuais em até três vezes. O substitutivo de Marinho aumentou essa possibilidade para quase 40 itens.

O parecer mantém o prazo de validade de dois anos para os acordos coletivos e as convenções coletivas de trabalho, vedando expressamente a ultratividade (aplicação após o término de sua vigência).

Foi alterada a concessão das férias dos trabalhadores. A medida enviada pelo governo prevê que as férias possam ser divididas em até três períodos. No parecer, o relator propõe que não é permitido que um dos períodos seja inferior a 14 dias corridos e que os períodos restantes não sejam inferiores a cinco dias corridos cada um.

Além disso, para que não haja prejuízos aos empregados, vedou-se o início das férias no período de dois dias que antecede feriado ou dia de repouso semanal remunerado.

Para Marinho, ao se abrir espaço para que as partes negociem diretamente condições de trabalho mais adequadas, sem revogar as garantias estabelecidas em lei, o projeto possibilita maior autonomia às entidades sindicais, ao mesmo tempo em que busca conferir maior segurança jurídica às decisões que vierem a ser negociadas.

Por outro lado, a lista de pontos previstos em lei que não poderão ser alterados por acordo coletivo chegou a 29. O projeto original proibia mudanças apenas em normas de segurança e medicina do trabalho. O novo texto, prevê, entre outros, a liberdade sindical e o direito de greve; FGTS; salário mínimo; décimo terceiro salário; hora-extra, seguro-desemprego, salário família; licenças-maternidade e paternidade; aposentadoria; férias; aviso prévio de 30 dias; e repouso semanal remunerado.

Fim da contribuição sindical obrigatória

Marinho propõe que a contribuição sindical fique restrita aos trabalhadores e empregadores sindicalizados. O desconto do pagamento da contribuição deve ser feito somente depois de manifestação favorável do trabalhador ou da empresa.

“Criada em uma época em que as garantias constitucionais estavam suspensas, a contribuição sindical tem inspiração claramente fascista, uma vez que tinha como principal objetivo subsidiar financeiramente os sindicatos para que dessem sustentação ao governo”, afirmou Marinho.

O tributo é recolhido anualmente e corresponde a um dia de trabalho, para os empregados, e a um percentual do capital social da empresa, no caso dos empregadores. Segundo o deputado, o país tem 17 mil sindicatos que recolhem R$ 3,6 bilhões em tributos anualmente.

“Não há justificação para se exigir a cobrança de uma contribuição de alguém que não é filiado e que, muitas vezes, discorda frontalmente da atuação de seu sindicato”, destacou o relator. Para Marinho, os sindicatos se fortalecerão com o fim da obrigatoriedade da cobrança de um dia de trabalho por ano, e a mudança vai acabar com instituições sem representatividades, o que chamou de “sindicatos pelegos”.

Trabalho intermitente

A proposta do relator prevê a prestação de serviços de forma descontínua, podendo o funcionário trabalhar em dias e horários alternados. O empregador paga somente pelas horas efetivamente trabalhadas. A modalidade, geralmente praticada por donos de bares, restaurantes, eventos e casas noturnas, permite a contratação de funcionários sem horário fixo de trabalho. Atualmente, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) prevê apenas a contratação parcial de forma descontínua, com duração que não exceda a 25 horas semanais.

O contrato de trabalho nessa modalidade deve ser firmado por escrito e conter o valor da hora de serviço.

Saiba Mais
Comissão especial da Câmara aprova relatório da reforma trabalhista
O empregado deverá ser convocado para a prestação do serviço com, pelo menos, três dias de antecedência e responder em um dia útil. Ao final de cada período de prestação de serviço, o trabalhador receberá o pagamento da remuneração, de férias e décimo terceiro proporcionais, além do repouso semanal remunerado e adicionais legais. Segundo a proposta de Marinho, o empregador deverá recolher a contribuição previdenciária e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Trabalho terceirizado

O relatório retira as alterações de regras relativas ao trabalho temporário. A Lei da Terceirização (13.429/17), sancionada em março, já havia mudado as regras do tempo máximo de contratação, de três meses para 180 dias, consecutivos ou não.

Além desse prazo inicial, pode haver uma prorrogação por mais 90 dias, consecutivos ou não, quando permanecerem as mesmas condições.

Com o objetivo de proteger o trabalhador terceirizado, a medida estabelece uma quarentena de 18 meses entre a demissão de um trabalhador e sua recontratação, pela mesma empresa, como terceirizado.

Além disso, garante ao terceirizado que trabalha nas dependências da empresa contratante o mesmo atendimento médico e ambulatorial destinado aos demais empregados. A lei atual permite, mas não obriga a empresa a oferecer o mesmo tratamento.

Pelo novo texto da lei, quando o número de terceirizados for acima de 20% do total de funcionários contratados diretamente, a empresa poderá oferecer serviços de alimentação e atendimento ambulatorial em outro local, mas com o mesmo padrão.

Para evitar futuros questionamentos, o substitutivo define que a terceirização alcança todas as atividades da empresa, inclusive a atividade-fim (aquela para a qual a empresa foi criada). A Lei de Terceirização não deixava clara essa possibilidade. A legislação prevê que a contratação terceirizada ocorra sem restrições, inclusive na administração pública.

Teletrabalho

O relator propõe a regulamentação do teletrabalho. Atualmente, 15 milhões de pessoas desempenham suas funções a distância no país. Nas empresas privadas, 68% dos empregados adotam a modalidade. Os dados fazem parte de um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Pelo substitutivo, o contrato deverá especificar quais atividades o empregado poderá fazer dentro da modalidade de teletrabalho. Patrão e funcionário poderão acertar a mudança de trabalho presencial na empresa para casa.

Em caso de decisão unilateral do empregado pelo fim do teletrabalho, o texto prevê um prazo de transição mínimo de 15 dias. A compra e manutenção de equipamento para o chamado home office devem ser definidas em contrato.

Multas

O relatório de Marinho manteve a redação do projeto original na íntegra sobre a aplicação de multas administrativas na inspeção do trabalho. A existência dessas multas não exime os empregadores de responsabilização penal.

A proposta do governo prevê o reajuste anual dos valores das multas administrativas em moeda corrente pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do IBGE ou pelo índice de preços que vier a substituí-lo.

Em outro ponto, o parecer trata da multa por funcionário não registrado. Atualmente, é cobrado um salário mínimo (R$ 937). Na proposta do governo, o valor passaria para R$ 6 mil. O relator, no entanto, estipula multa de R$ 3 mil para empresas de grande porte e de R$ 800 para micro e pequenas empresas.

Ativismo judicial

O parecer incorpora normas para diminuir o número de ações na Justiça do Trabalho, o que o relator chama de ativismo judicial. “Temos, hoje, uma coletânea de normas que, em vez de contribuir para a rápida conclusão da demanda, têm sido um fator preponderante para o estrangulamento da Justiça do Trabalho”, disse.

Entre as medidas propostas, está a previsão de que se o empregado assinar a rescisão contratual fica impedido que questioná-la posteriormente na Justiça trabalhista. Outro ponto é a limitação de prazo para o andamento das ações. “Decorridos oito anos de tramitação processual sem que a ação tenha sido levada a termo [julgada], o processo será extinto, com julgamento de mérito, decorrente desse decurso de prazo”.

“Foram incorporadas normas que visam a possibilitar formas não litigiosas de solução dos conflitos, normas que desestimulam a litigância de má-fé, normas que freiam o ativismo judicial e normas que reafirmam o prestígio do princípio constitucional da legalidade, segundo o qual ninguém é obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei”, disse o deputado.

Demissão consensual

O substitutivo de Marinho incluiu a previsão de demissão em comum acordo. A alteração permite que empregador e empregado, em decisão consensual, possam encerrar o contrato de trabalho. Neste caso, o empregador será obrigado a pagar metade do aviso prévio, e no caso de indenização, o valor será calculado sobre o saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O trabalhador poderá movimentar 80% do FGTS depositado e não terá direito ao seguro-desemprego.

Atualmente, a CLT prevê demissão nas seguintes situações: solicitada pelo funcionário, por justa causa ou sem justa causa. Apenas no último caso, o trabalhador tem acesso ao FGTS, recebimento de multa de 40% sobre o saldo do fundo e direito ao seguro-desemprego, caso tenha tempo de trabalho suficiente para receber o benefício. Dessa forma, é comum o trabalhador acertar o desligamento em um acordo informal para poder acessar os benefícios concedidos a quem  é demitido sem justa causa.

Fonte: Agencia Brasil

terça-feira, 25 de abril de 2017

Mais de 231 mil agricultores familiares estão aptos a receber o Garantia Safra 2016/2017 no Ceará

O governador Camilo Santana assinou nesta terça-feira (25), no Centro de Eventos, ao termo de adesão ao Garantia Safra 2016-2017. Com investimento de R$ 117 milhões, o programa beneficia os agricultores que tiveram perda de pelo menos 50% da produção e pode atender 231.225 trabalhadores cearenses. Dos 184 municípios do Ceará, apenas quatro ficaram de fora da atual edição: Fortaleza, Eusébio, Guaramiranga e Jijoca de Jericoacoara.
"O Garantia Safra é uma das políticas mais importantes para dar segurança aos agricultores familiares do Ceará, diante do Estado em que grande parte dele é semiárido e que vem enfrentando situação de seca severa. São R$ 850, divididos em parcelas de R$ 170 reais", explicou o governador.
Para aderir ao Garantia Safra, o agricultor deve verificar se a sua cidade participa do programa. O município precisa assinar o Termo de Adesão com o governo Estadual e definir a quantidade de agricultores que vão participar em sua jurisdição. O agricultor, por sua vez, deve procurar o escritório de assistência técnica e extensão rural ou o sindicato dos trabalhadores rurais do município.
A inscrição é feita por meio da Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP). Depois de inscrito, o agricultor deve procurar a prefeitura para receber o boleto, que precisa ser pago em uma agência da Caixa, lotérica ou correspondente Caixa Aqui dentro do prazo definido para o seu município. A adesão deve ser realizada antes do plantio.
Garantia Safra
O Garantia Safra é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), direcionada para aqueles agricultores que vivem na região Nordeste, do Norte do estado de Minas Gerais, Vale do Mucuri, Vale do Jequitinhonha e Norte do estado do Espírito Santo, área de atuação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).
Os recursos para pagamento aos agricultores são do Fundo Garantia Safra, formado por contribuições do agricultor, do município, do estado e da União. Os agricultores podem fazer o saque do benefício utilizando o Cartão Cidadão ou do Bolsa Família.

Fonte: G1 CE

Dupla é presa em Salgueiro com moto roubada em Recife

Dois homens, de 47 e 18 anos, que estavam com uma moto roubada foram presos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) na manhã desta terça-feira (25), na BR 116, em Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. O veículo de 250 cilindradas havia sido roubado em Recife no dia 19 de março deste ano.

Agentes da PRF realizavam uma fiscalização no quilômetro 26 da rodovia, quando deram ordem de parada ao condutor de uma motocicleta com placas de paulista, no Grande Recife. Ao verificar os caracteres identificadores da moto, foi constatado que o veículo havia sido roubado há cerca de um mês.

Veículo portava placa original e condutor assumiu a propriedade da moto

O condutor informou que havia adquirido o veículo, que é do ano de 2006, pelo valor de R$1.000,00 em uma feira de Ouricuri, mas o valor de mercado da moto ultrapassa os R$5.000,00. Ele foi encaminhado junto com o passageiro à delegacia de Polícia Civil de Salgueiro, para a continuidade dos procedimentos legais.

Nucom-PRF/PE

Comunicado: Iniciativa 2,4-D esclarece algumas informações sobre o herbicida

São Paulo, 24 de abril de 2017 – A Iniciativa 2,4-D, grupo formado pela união entre o setor privado e pesquisadores de instituições acadêmicas para gerar informação técnica sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas, teve acesso ao texto “ALIMENTAÇÃO: Brasileiros tomam cinco litros de veneno por ano”, publicado em 24 de abril pelo site Na Rota das Notícias, e gostaria de esclarecer algumas informações.

O produto conhecido como “Agente Laranja”, utilizado como desfolhante na Guerra do Vietnã, não é comercializado ou empregado na agricultura brasileira. Erroneamente, o herbicida 2,4-D tem sido associado ao Agente Laranja, mas é preciso deixar claro que são duas substâncias muito diferentes.

O 2,4-D foi um dos componentes do Agente Laranja, juntamente com outra molécula do grupo fenoxi, o 2,4,5-T. Pesquisadores concluíram que o 2,4,5-T foi o elemento de preocupação no Agente Laranja, em função de possível contaminação por dioxina. Como resultado, sua comercialização foi descontinuada há mais de 25 anos (produção e registro), enquanto o 2,4-D continua a ser um dos herbicidas mais confiáveis e utilizados em todo o mundo.

Com mais de 70 anos no mercado mundial, o 2,4-D é registrado em cerca de 100 países, inclusive no Brasil, registros estes baseados em rigorosas e contínuas avaliações de dados científicos. As agências levam em conta mais de 40 mil estudos, sendo mais de 4 mil sobre toxicologia, e essas pesquisas são constantemente atualizadas para atender às exigências regulatórias.

Agências reguladoras de produtos químicos em várias partes do mundo reviram os dados sobre toxicidade do herbicida e todas chegaram à conclusão de que sua utilização não induz malformações no desenvolvimento e não representa um risco para a saúde humana quando utilizado segundo as recomendações de uso.

A Iniciativa 2,4-D enfatiza que, para auxiliar os produtores rurais na utilização correta deste herbicida, a instituição realiza palestras e treinamentos disponibilizando material técnico com informações sobre esta molécula, bem como conceitos de tecnologia de aplicação. Nos últimos anos, o grupo realizou mais de 180 treinamentos em todas as macrorregiões do Brasil. Ao todo cerca de 9 mil produtores, técnicos e operadores de equipamentos participaram dos eventos de capacitação técnica.

Sobre a Iniciativa 2,4-D

A Iniciativa 2,4-D é formada pela união entre o setor privado (Dow AgroSciences e Nufarm) e pesquisadores de instituições acadêmicas, como a Universidade de Passo Fundo - UPF, Universidade Estadual de Maringá - UEM, Universidade Estadual do Norte do Paraná – UENP, entre outras; com o propósito gerar informação técnica sobre o uso correto e seguro de defensivos agrícolas, além de apoiar projetos que abordem esta questão, como o Projeto “Acerte o Alvo – evite a deriva na aplicação de agrotóxicos”, realizado no Paraná. O foco é educar o produtor sobre a importância da utilização correta de tecnologias que garantam a qualidade da aplicação dos defensivos agrícolas. O grupo defende que o uso adequado das tecnologias de aplicação e a precaução para evitar a deriva são essenciais para garantir a eficácia e a segurança ambiental na utilização de defensivos agrícolas. A Iniciativa 2,4-D se apresenta como fonte de informação e esclarecimento, que, apoiada por estudos acadêmicos, visa desmistificar o emprego do 2,4-D.

ML&A Comunicações
Amanda Oliveira / Fernanda Elen

Homem diz ser de facção criminosa, exige emprego em supermercado e ameaça explodir estabelecimento

Jeferson Souza da Silva, 22 anos, resolveu pedir emprego em um supermercado de uma forma bem inusitada. Ele chegou ao estabelecimento dizendo ser integrante de uma facção criminosa. Ainda ressaltou que se não dessem um trabalho para ele, explodiria o supermercado.

A equipe de reportagem, do Barra pesada, da TV Jangadeiro/SBT, apurou que Jeferson utilizava uma tatuagem falsa feita com caneta, referente à facção criminosa do Comando Vermelho. Jeferson foi levado para a polícia e, em seguida, foi liberado.

Veja todos os detalhes no vídeo do Barra Pesada, da TV Jangadeiro/SBT:

Fonte: Tribuna do Ceará

segunda-feira, 24 de abril de 2017

ALIMENTAÇÃO: Brasileiros tomam cinco litros de veneno por ano

De repente, as primeiras barracas de produtos orgânicos vão surgindo nos bairros e em pouco tempo as feirinhas aumentam de tamanho, conquistam a freguesia. Não apenas pela conversa cordial e amena dos produtores, geralmente pessoas de cabeça arejada, mas porque cresce na população a consciência de que a poderosa propaganda do agronegócio nacional o que faz é tentar esconder uma realidade dramática, escancarada, nesta semana, pelo chamado Dossiê Abrasco – um alerta da Associação Brasileira de Saúde Coletiva sobre o impacto dos agrotóxicos na saúde. Dados apontam que 70% dos alimentos in natura consumidos no país estão contaminados por essas substâncias e o que é ainda mais grave: desse percentual, 28% delas não são autorizadas pela Anvisa, isto sem contar o excesso contido em grãos geneticamente modificados, que entram na comida processada. No topo da lista dos alimentos com maior quantidade de “veneno” estão justamente a soja (40%) e o milho (15%). Aliás, a julgar pelo mal trazido à saúde dos consumidores, este é mesmo o termo mais apropriado para denominar tais substâncias. A título de ilustração do dano, seria como se cada brasileiro tomasse um galão de cinco litros de veneno por ano, na avaliação do Instituto Nacional do Câncer (INCA).

O INCA, inclusive, não se cansa de alertar para a ligação que o uso excessivo de agrotóxicos tem com a incidência de certos tipos de câncer e de doenças genéticas. No entanto – evidentemente, pelo poder econômico do agronegócio – o Brasil segue ocupando a primeira posição no ranking mundial de consumo deles. Enquanto se mantém no topo da lista, desde 2008, e leva o setor a crescer 190% em uma década o Brasil dá mostras de que caminha na contramão da tendência mundial de se ver livre da ameaça, pois mais da metade dos que hoje são largamente usados por aqui já foram banidos dos Estados Unidos e de países da União Europeia. Ter a saúde seriamente afetada parece ser, para populações que vivem no lado subdesenvolvido do planeta, apenas uma questão de tempo. As autoridades de saúde admitem que os casos de intoxicação aguda e crônica provocados pelos agrotóxicos já chegam a 70 mil por ano. Considerando a extrema gravidade da situação, o Ministério Público Federal acaba de enviar à Anvisa documento solicitando que seja concluída urgentemente a reavaliação toxicológica do glifosato, reconhecidamente perigoso, para que o herbicida – campeão de vendas em 2013, segundo o Ibama - desapareça definitivamente do mercado nacional. O pedido de urgência faz todo o sentido, uma vez que, em março, um estudo da OMS, do INCA e da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer o associaram ao surgimento da doença.

É fácil deduzir que por trás da dificuldade do Brasil em se ver livre de ameaça tão alarmante esteja a força da indústria e da bancada ruralista, ostensivamente determinada a defender os interesses dos grandes produtores. Assim estaria explicada, em parte, a demora da Anvisa em concluir essas análises – a do 24D, por exemplo, substância presente na composição do chamado “agente laranja”, com que o exército dos EUA pulverizou cidades do Vietnam durante a Segunda Guerra Mundial e até hoje faz nascer crianças sem membros superiores e inferiores, teve início em 2006 e segue sem definição, enquanto a do glifosato começou em 2008. Neste campo, otimismo é uma palavra que não acha espaço, justamente pela pressão vinda dos grupos econômicos para que o país não mude uma vírgula da situação. Acredita-se que mesmo a Justiça conseguindo suspender o uso, o mal só sairá das prateleiras quando acabar os estoques. Portanto, considere a possibilidade de olhar com mais simpatia para as feiras de orgânicos, que pesam cerca de 30% a mais no orçamento em relação aos produtos “envenenados”, mas, ao contrário desses, trabalham a favor da perspectiva de maior longevidade. Não pode haver, sem dúvida nenhuma, relação custo x benefício que deva ser mais levada em conta.

Fonte: Diário de Pernambuco

Homem é preso tentando atrair crianças com ovos de páscoa

Um homem foi preso na manhã deste domingo (23) ao tentar atrair uma criança com ovos de páscoa com o objetivo de raptá-la no bairro Santa Filomena, em Fortaleza. De acordo com informações preliminares, o suspeito já responde por sequestro em outro Estado.

Ainda segundo informações de um inspetor do 30º Distrito Policial, no bairro São Cristóvão, Delegacia em que o homem está sendo ouvido na manhã deste domingo, muitos ovos de chocolates foram encontrados no carro em que o suspeito dirigia. O veículo, do modelo Hilux, tem placa do Paraná.

Além do suspeito, o pai de uma criança, que chegou a aceitar o chocolate do estranho, também está sendo ouvido nesta manhã no 30º DP.

Caso Débora

Débora sumiu no último dia 27 de março, enquanto brincava com amigos na avenida Raul Barbosa, em Fortaleza. De acordo com o relato de testemunhas, a criança foi levada por um homem sem um dos braços para um matagal e desde então, não foi mais vista. Buscas foram realizadas pelas forças de Segurança e populares. A criança foi encontrada 12 dias após o sumiço morta em um lixão na Via Expressa, em Fortaleza.  

Vingança




“Ele esclarece que cometeu o crime no mesmo dia em que raptou a vítima de frente a sua casa e depois de matá-la enrolou o corpo com papelão e outras coisas para dificultar o achado do corpo da vítima”, revelou uma fonte ao Cnews. Walderir foi encontrado pelos agentes de segurança em Parnaíba, no Estado do Piauí, e trazido para Fortaleza sob escolta. Ele revelou que fugiu dias após o crime para se esconder na casa de seus pais, que residem na cidade.
O homem mora em Fortaleza com o irmão no bairro Serviluz e trabalha como flanelinha no cruzamento da Av. Raul Barbosa com Murilo Borges, local onde Débora foi vista pela última vez.
Como apontavam as investigações, Walderir afirmou que o assassinato de Débora foi motivado por vingança. Segundo o suspeito, familiares da vítima também vendiam flanelas no viaduto da Raul Barbosa e a disputa por clientes acabou gerando uma concorrência entre eles. 
O Cnews também apurou com exclusividade que um inquérito policial contra Walderir foi aberto no último dia 7 de abril por homicídio doloso (quando há intenção de matar), exatamente dez dias após o desaparecimento da criança.

Foto ilustrativa
Fonte: Cnews

Vendedor de picolé é agredido por seguranças de barraca na Praia do Futuro

Um vendedor de picolés foi expulso e agredido por seguranças de uma barraca da Praia do Futuro. O fato aconteceu neste fim de semana na Crocobeach Complexo e foi registrado por pessoas que estavam na praia no momento do ocorrido. A repercussão do caso tomou grandes proporções após o vídeo ser compartilhado nas redes sociais.

No vídeo é possível ver o momento que os seguranças do estabelecimento expulsam, empurram, e um deles dá um soco no vendedor de picolés que cai ao chão sem reagir. Uma mulher ajuda o vendedor a levantar. No registro também é possível ouvir os seguranças dizendo que, ali não é lugar para ele trabalhar, pois é de propriedade da barraca. Em sua defesa, a vítima diz estar trabalhando.

A representante da Associação de barracas da praia do Futuro, Fátima Queiroz comentou sobre o fato que ocorreu na barraca. Ela disse a reportagem do Tribuna do Ceará que, tomou conhecimento do fato pelas redes sociais. Apesar de repudiar o fato, ela acredita que isso é um fato isolado. “A Associação repudia esse tipo de comportamento, dentro do cotidiano, e isso tem que ser investigado, as barracas são abertas e não podem impedir o acesso dos ambulantes que estão trabalhando na praia”, afirma.

A empresa Pardal Sorvetes se pronunciou através das redes sociais com uma nota de repúdio e em defesa do seu funcionário. “A Pardal Sorvetes informa a todos os seus colaboradores e consumidores que tomou ciência do ocorrido na barraca da Praia do Futuro e afirma que repudia quelquer tipo de violência. Esclarece, ainda, que tomará todas as providências cabíveis no intuito do resguardar a integridade do ambulante”, informa.

A reportagem da Tribuna do Ceará entrou em contato com dois telefones da barraca Crocobeach, que afirmaram se pronunciar através das redes sociais, mas até a publicação dessa matéria ninguém atendeu aos telefonemas, não retornaram as ligações, e não publicaram ainda nas redes sociais.


Fonte: Tribuna do Ceará

domingo, 23 de abril de 2017

Morre aos 70 Anos o Cantor Jerry Adriani

O cantor Jerry Adriani, de 70 anos, morreu na tarde de hoje no hospital Vitória, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro. Adriani, cujo nome verdadeiro era Jair Alves de Souza, estava se tratando de um câncer. Ele tinha 70 anos.

Nascido no bairro paulistano do Brás, Jair Alves de Souza começou a carreira como vocalista do grupo Os Rebeldes. Ele se tornou Jerry Adriani porque tinha a ideia de que para cantar rock era necessário ter um nome americano (Jerry) e era fã do ídolo italiano Adriano Celentano. Adriani apresentou programas dedicados ao rock na antiga TV Tupi, em São Paulo, e comandou – ao lado de Betty Faria e Neyde aparecida, entre outros – A Grande Parada, dedicada aos grandes nomes da música brasileira.
A princípio, Adriani cantava em italiano. Lançou dois discos na língua de Dante Aligheri até se render definitivamente ao rock nacional. Um Grande Amor, de 1965, foi seu primeiro álbum cantado em português. No auge da fama, em viagem à Bahia, ele foi acompanhado por uma banda de rock local chamada Raulzito e seus Panteras. Ficou tão impressionado com a sonoridade dos roqueiros soteropolitanos que os indicou para as gravadoras do Sudeste. O líder da banda, o Raulzito, era nada menos que o cantor e compositor Raul Seixas. Ele, aliás, foi responsável por um dos maiores grandes sucessos de Jerry Adriani, a balada Doce Doce Amor.

Embora fosse identificado com o movimento da jovem guarda, Adriani sempre foi um cantor eclético. A sua discografia é composta por álbuns ecléticos, no qual interpretou autores de soul music (Gioconda, do baiano Hyldon, de seu disco de 1970; e muitas canções de Robson Jorge, que fizeram parte do álbum de 1977), clássicos do repertório de Elvis Presley e Renato Russo. O mais recente disco de Adriani, o CD e DVD Outro, era composto por composições de Arnaldo Antunes, tango e até standards de jazz. Adriani, inclusive, participou do programa VEJA Música para falar sobre seu álbum e os momentos mais importantes de sua carreira.


No início de março, Adriani cancelou apresentações que faria na cidade de Salvador, na Bahia, por causa de uma trombose na perna. Após uma série de exames, foi detectado um câncer. Na ocasião, ele chegou a publicar um vídeo na internet para acalmar os fãs, desesperados com a notícia. Até o momento a família não deu maiores detalhes sobre o velório e o enterro do cantor. Até o momento não foram divulgados os detalhes do velório e do enterro de Adriani.

Fonte: Veja.com

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Hot Sonakshi Sinha , Car Price in India